Funcionárias são afastadas de abrigo em SC por maltratarem crianças acolhidas

Quatro mulheres que trabalham em um abrigo de Braço do Norte (SC) foram afastadas da função por tratarem mal crianças e adolescentes acolhidos. Elas são suspeitas de aplicar castigos e serem negligentes com os cuidados dos internos.
 
Segundo o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), a liminar de afastamento foi concedida em 18 de julho, baseada no relato de uma psicóloga e funcionários do local. Ainda de acordo com o órgão, o mérito da ação ainda será julgado, que pede a perda do cargo delas. O caso tramita em segredo de Justiça.
 
Três delas são educadoras e uma é auxiliar. Segundo a liminar, elas não podem mais ter contato com os acolhidos e nem chegar perto da instituição. As crianças sofriam castigos como banho frio por fazer xixi nas calças ou na cama, permaneciam em quartos sozinhas por horas e levaram beliscões, de acordo com o MPSC. Ainda segundo depoimentos, um cadeirante acolhido chegou a ficar várias horas sem trocar as fraldas.
 
A promotoria entendeu que houve ato de improbidade administrativa, pela violência psicológica e física aos acolhidos, bem como a falta de cuidado e omissão. Eles deveriam receber delas carinho, acolhida e estímulos ao desenvolvimento e bem-estar.
 
A prefeitura de Braço do Norte ainda não havia se manifestado até o início da tarde desta terça-feira (23). O abrigo e a identidade das educadoras e auxiliar não foram divulgados.
Fonte: G1 Sc