Agroindústrias adotam medidas para levar funcionários até o trabalho em Chapecó

Na tarde desta quarta-feira (18) o Prefeito de Chapecó, Luciano Buligon voltou atrás e divulgou um decreto que suspende o transporte coletivo urbano no município, a partir da meia-noite da quinta-feira (19), devido a situação de emergência em Santa Catarina. Na capital do oeste, mensalmente o transporte coletivo conta com 1 milhão e 102 mil usuários.

O jornalismo do ClicRDC entrou em contato com a Assessoria de Imprensa da Aurora Alimentos, e recebeu a informação de que em Santa Catarina, a cooperativa contratará transporte particular para buscar e levar os empregados de casa até o trabalho. A medida será válida, enquanto o decreto estiver em andamento no estado.

Em contato com Auto Viação Chapecó, foi confirmado ao ClicRDC que a empresa foi contratada pela Aurora e fará o fretamento destas linhas na cidade. Sendo assim, os trabalhadores utilizarão deste transporte para ir ao trabalho.  Nas demais cidades onde a cooperativa opera, a medida será semelhante com empresas locais que prestarão o mesmo serviço.

Por email, a BRF informou que já ultiliza transportes particulares e seguros para seus colaboradores e irá intensificar este serviço a partir do decreto de situação de emergência em Santa Catarina.


A BRF informa que já utiliza meios de transportes particulares e seguros para seus colaboradores no Estado de Santa Catarina e irá intensificar este serviço a partir das resoluções aplicadas na data de hoje no estado. A empresa esclarece que implementou diversas medidas preventivas para garantir a saúde de todas as pessoas envolvidas em seu contexto operacional e o atendimento da demanda da população por alimentos.

A empresa reitera que desde o início do surto possui um Comitê Permanente de Acompanhamento Multidisciplinar formado por executivos e especialistas renomados, incluindo da área de infectologia, que deliberam novas medidas sempre que necessário.

A Companhia já tem planos de contingência implantados para assegurar o funcionamento de seus complexos industriais, centros de distribuição, logística, cadeia de suprimentos e escritórios de apoio, não apresentando qualquer alteração em sua programação de produção, operação e/ou comercialização até o momento.”, informou a BRF.