Após reclamações, Casan anuncia manobras para transportar água aos bairros afetados pelo rodízio Chapecó

Os técnicos da Casan fizeram na manhã desta segunda-feira (9) uma reavaliação das manobras operacionais que estão sendo executadas no sistema de abastecimento de Chapecó desde a semana passada. Segundo a Casan, as maiores dificuldades de abastecimento estão concentradas nas partes mais altas dos bairros Bela Vista, Boa Vista, Efapi, Paraíso, São Cristóvão e Universitário. No domingo (8), moradores do loteamento Vila Esperança, no bairro Efapi realizam uma manifestação devido a falta de água. Na manifestação, a moradora do bairro Paula Ferreira relatou que desde quarta-feira (4) estava sem abastecimento na casa.

Segundo a Casan, nesta segunda-feira manobras operacionais foram realizadas para aumentar a vazão e a pressão da água para estas seis áreas. O loteamento Vila Esperança, localizado na Grande Efapi recebeu suporte de caminhão-pipa devido à dificuldade de levar água a alguns imóveis situados nas ruas mais altas.

A Casan informou que Técnicos da Superintendência Regional Oeste (SRO) avaliam a possibilidade de ampliar o horário de rodízio e incluir bairros ainda não envolvidos, já que o consumo na cidade não diminuiu, como se projetava. “Manobras de até 24 horas se mostram necessárias para abastecer as partes mais altas, pois o sistema de 12 horas não está sendo suficiente para recarregar os reservatórios principais”, observou o engenheiro Bruno Eleotero, chefe da Agência local.

Nesta terça-feira, a Casan espera colocar em operação as novas bombas instaladas emergencialmente na Barragem do Guatambu para aumentar a captação do Rio Tigre e reduzir a dependência do Lajeado São José.

Segundo a Epagri/Ciram, o déficit hídrico no Oeste chega a 711 milímetros (mm) de chuvas que não caíram na região, como aponta a série histórica de precipitação.

Fonte: CLICRDC / Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Arquivo / Secom