Após se tornar foco de coronavírus, frigorífico da JBS é interditado em Passo Fundo

Uma unidade do frigorífico da JBS em Passo Fundo, no norte do Rio Grande do Sul, a 180,2 km de Chapecó foi interditada, por tempo indeterminado, após o encerramento de fiscalização da Subsecretaria de Inspeção do Trabalho, órgão vinculado ao Ministério da Economia. O anúncio foi feito na tarde desta sexta-feira (24) pelos auditores fiscais do trabalho.

Segundo a GaúchaZH, o motivo da interdição é o fato de o frigorífico ter se tornado um foco de coronavírus, com 19 trabalhadores testados positivos para a doença. Além disso, dois familiares desses empregados infectados morreram por força da Covid-19. Há pelo menos 15 outros trabalhadores sob suspeita de terem contraído o vírus.

“Temos um caso específico em Passo Fundo de contágio em local de trabalho em uma empresa. Isso está sendo apurado e investigado, tem acompanhamento do Ministério Público do Trabalho (MPT) também. Toda atenção está sendo dada a Passo Fundo”, disse Eduardo Leite, em transmissão ao vivo via redes sociais.

Segundo entrevista da secretária da Saúde do município, Carla Gonçalves, para a GaúchaZH, pelo menos seis casos foram confirmados, e dois familiares de trabalhadores do local morreram. Os primeiros casos não foram confirmados na empresa, mas a secretária teme que a grande circulação de pessoas tenha ajudado a espalhar.

“É uma empresa que emprega um grande número de funcionários, e nós estamos tentando identificar, com a ajuda de outros setores, se houve algum tipo de negligência. Nós fizemos visitas ao local e identificamos problemas, como grande circulação de pessoas sem medidas preventivas e aglomerações”, disse Carla Gonçalves.

Nota da JBS

“A JBS tem adotado todas as medidas para garantir a máxima segurança e prevenção de cada um dos colaboradores das suas fábricas, centrais de distribuição e escritórios. Incluem-se nessas medidas: desinfecção diária e periódica das instalações; medição de temperatura de todos os colaboradores antes de acessarem a unidade; afastamento de pessoas do grupo de risco; inclusão de novos EPIs, como máscaras acrílicas; obrigatoriedade do uso de máscaras para 100% dos colaboradores, incluindo a área administrativa; medidas de distanciamento social; vacinação contra a gripe H1N1, entre outras ações.

Todas as medidas seguem as determinações dos órgãos de saúde, como a OMS (Organização Mundial da Saúde) e o Ministério da Saúde, além de cumprir integralmente com o protocolo da Secretaria do Trabalho (Ministério da Economia). Adicionalmente, a empresa contratou e está em total conformidade com as orientações das consultorias de renomados médicos e especialistas  sobre as práticas adotadas. 

A Companhia esclarece ainda que adota protocolos detalhados e específicos e, no caso em que um colaborador teste positivo para Covid-19, é prestado imediato atendimento com total apoio a ele e seus familiares até seu pronto restabelecimento. Nesse período, conforme orientam os órgãos de saúde, o colaborador estará afastado de suas atividades e com acompanhamento integral. Além disso, a empresa inclui como procedimento-padrão a total desinfecção e sanitização das áreas comuns e do local em que o profissional trabalha em caráter adicional.

A proteção dos colaboradores sempre foi o primeiro objetivo da JBS, desde o início da pandemia da Covid-19. Continuaremos pautados por esse princípio e confiamos que as atividades em Passo Fundo serão retomadas brevemente.”
(Informações GauchaZH)