Bombeiros de Chapecó tem primeira mulher subcomandante do Oeste

O Corpo de Bombeiros de Chapecó tem a primeira mulher do Oeste a ocupar o posto de subcomandante de um batalhão da região. A Major BM Gauana Elis Pozzan Ecco, 34 anos, assumiu o posto no fim de 2020, junto com a posse do tenente coronel Walter Parizotto, que assumiu o comando do 6º Batalhão de Bombeiro Militar no dia 15 de dezembro.
 
Há 14 anos no Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, a major é casada com o também bombeiro capitão Leonardo Ecco, que comanda a Companhia dos Bombeiros de Pinhalzinho.
 
Nascida em Caxambu do Sul (SC), Elis conta que ingressou no CBMSC aos 20 anos quando passou no Curso para Formação de Oficiais (CFO). Ela lembra que na época eram apenas duas vagas para mulheres em todo estado. “Entrei meio por acaso. Eu morava em Pinhalzinho e cursava Engenharia de Alimentos. Meu marido já atuava como Bombeiro Voluntário quando surgiu o concurso e decidimos fazer. Eu fiz e passei”, contou.
 
Ela comenta ainda que a outra mulher aprovada naquele concurso atualmente é subcomandante do batalhão da cidade de Itajaí. 
 
Em sua trajetória do CBMSC, Elis, que é formada em Administração Pública pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), teve passagens por vários setores, mas a maior parte dela foi no setor de Segurança Contra Incêndios, com análises de projetos e vistorias.
 
Depois de formada no Curso de Formação de Oficiais (CFO), retornou a Chapecó onde ficou por cerca de dois anos, atuando principalmente na Sessão de Atividades Técnicas (SAT). Quando seu marido passou no CFO e foi fazer o curso em Florianópolis, ela se mudou novamente para lá, onde seguiu atuando em prevenção de incêndios, mas também como comandante de área nas cidades de São José, Palhoça, Florianópolis, também em atividades de prevenção em praias.
 
Por cinco anos atuou na Casa Militar, fazendo assessoria em cerimoniais e outras demandas da corporação. Quando retornou para o Oeste, em 2017, foi comandante da Companhia de Chapecó, depois atuou no B1 (Setor Pessoal), e voltou a atuar na então Sessão de Atividades Técnicas (SAT), hoje Serviço de Segurança Contra Incêndio (SSCI). “Aprendemos com as experiências novas, é uma bagagem que nos ajuda na tomada de decisões. Trabalhei em praticamente todas as áreas e isso contribui bastante”, disse.
 
Elis destaca a responsabilidade de assumir o posto. “Me sinto feliz pela oportunidade. É uma grande responsabilidade e um desafio novo”, comentou.
 
Mulheres em cargos de liderança
 
Além do desafio profissional assumido pela Major, o fato de ela ser a primeira mulher a assumir essa posição em um batalhão de Bombeiros no Oeste também é um exemplo para outras que tem o sonho de ingressar na corporação ou em qualquer posição de liderança. “Muitas pessoas nem sabem que há mulheres no Corpo de Bombeiros. A grande maioria dos bombeiros são homens, sendo o efetivo feminino apenas 5% do total. Recebo muitos comentários e elogios de outras mulheres, que se sentem representadas por nós. Para muitas é um incentivo, porque esta é uma profissão que elas gostariam de seguir. É uma grande oportunidade de mostrarmos que a mulher é capaz de estar nas mesmas profissões que os homens”, reforçou.
 
Não desista
 
“Se você tem um sonho ou vontade de trabalhar em alguma atividade específica, é muito importante estudar, se dedicar e correr atrás do seu objetivo. Nunca deixe que ninguém destrua esse sonho ou diga que você não é capaz. A jornada pode não ser fácil, mas é muito importante ser persistente e não desistir do objetivo traçado”, aconselha.