Câmara absolve vereador acusado de ter agredido advogado

Por sete votos a três, a Câmara de Vereadores de Herval d´Oeste decidiu não cassar o mandato do vereador Valdenir Antônio Rodrigues (Boca), acusado de ter agredido o assessor jurídico da Casa Legislativa, Cassiano de Deus e Silva. O episódio ocorreu no mês de julho, após uma discussão entre ambos.

O relatório final da Comissão que apurou o caso foi lido em plenário na noite deste domingo (25) antes da votação. O documento, que pedia a cassação do vereador pela sua conduta, recebeu os votos apenas dos integrantes da comissão: Ronaldo Lourenço da Rosa (presidente), João Marqueze (vice-presidente) e Vanderlei Antunes da Silva (relator).

Os vereadores se manifestaram sobre o resultado durante a sessão transmitida pela Rádio Líder. “Eu revi meu voto depois de saber que o vereador e o advogado entraram em acordo no Ministério Público. Se eles se acertaram, esse procedimento era desnecessário”, justificou Adelar Provenci Kiko, que foi o denunciante do caso e votou contra a cassação.

Para o relator da comissão, vereador Vanderlei Antunes da Silva, independentemente do acordo judicial, o que estava sendo julgado era um ato que ocorreu dentro Câmara. “Esse acordo acabou prejudicando a votação. Ficou difícil. Se havia interesse das partes em fazer um acordo, deveriam ter feito no início, assim evitaríamos esse desgaste”.

O vereador denunciado, Valdenir Antônio Rodrigues, destacou que a votação foi justa, pois segundo ele, em nenhum momento ficou comprovada a agressão. “Falei desde o início que era um ato político, pois meu trabalho nunca foi questionado. Agora todos votaram conscientes, sabendo dos fatos”.

O presidente da Câmara de Vereadores, Sérgio Moacir do Nascimento, também qualificou a denúncia como um ato político. “Eu, que presenciei a cena, entendo que caberia uma advertência, pois o fato não era passível de cassação. Acho que os vereadores não souberam lidar com a situação após a OAB ter feito pressão”.

A presidente da OAB/Subseção Joaçaba, Elisangela Schaitel, que acompanhou a votação, avaliou o resultado como preocupante. “ Não viemos a essa Casa fazer pressão, e sim pedir que o caso fosse apurado. A Comissão chegou a conclusão que houve uma violência contra um advogado, e a votação contrária deixa a impressão que a partir deste momento Herval d´Oeste está permitindo a agressão”, lamentou. “A população do município pode ter certeza que vamos continuar vigilantes, pois nossa função não é apenas proteger o advogado, mas toda a sociedade”, acrescentou, ao analisar que o resultado trará prejuízos aos vereadores. “Saio daqui preocupada, mas com a certeza de que a população vai dar a resposta nas urnas”, concluiu.

Votaram contra o relatório: Dhiego Costa, Everton Parisenti, Adelar Provenci (denunciante), Osni Silveira de Ávila, Leonardo Mascarello, Adilson Teixeira e Sérgio Moacir do Nascimento. O denunciado se absteve de votar.

 

FONTE: CACO DA ROSA