Chapecó recebe delegacia especializada em investigar crimes ambientais

A partir desta segunda-feira, 03, a Polícia Civil de Chapecó passa a contar com uma Delegacia Especializada em Crimes Ambientais. O departamento fica localizado junto a 3ª Delegacia de Polícia Civil, no bairro Efapi, área norte do município.

Segundo o delegado Willian Meotti, responsável pela 3ªDP, a ideia surgiu em conversa com o delegado Ricardo Casagrande, da 12ª Delegacia Regional de Polícia Civil.

“A intenção é especializar cada vez mais a Polícia Civil, agora no âmbito dos crimes ambientais, mais especificamente na Lei nº 9.605”, diz Meotti.

O decreto da Lei foi sancionado em 12 de fevereiro de 1998 e penaliza quem: Art. 54. Causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais, ou a destruição significativa da flora: Pena — reclusão, de um a quatro anos, e multa.

Miotti explica que os policiais que atuam na 3ª Delegacia de Polícia Civil serão especializados para atenderem os casos.

“Normalmente, os que mais ocorrem, são os crimes de maus tratos a animais e também os de cortes árvores nativas, bem como de poluição”, comenta o delegado.

Caso no ano passado

Em outubro do ano passado, um empresário do setor imobiliário de Chapecó foi indiciado pela Polícia Civil por envenenar pelo menos sete pinheiros no município.

À época, segundo o delegado Meotti, a empresa matou os pinheiros através de injeções com veneno. Assim, empresa receberia a licença ambiental para o corte. A polícia identificou indícios de que o local seria utilizado para fins comerciais.

A denúncia foi recebida pelo Ministério Público de Santa Catarina e a investigação durou um ano.

Parceria

O delegado Ricardo Casagrande diz que a especialização das unidades traz resultados expressivos e positivos. Com isso, cresce a ideia de ter um departamento especializado em investigar os crimes ambientais.

Casagrande explica que os trabalhos serão desenvolvidos também em parceria com a Polícia Militar Ambiental, órgão responsável pela fiscalização dos crimes envolvendo o meio ambiente.

“A ideia é que seja uma parceira na troca de informações e na realização de operações conjuntas. Antes, os casos eram direcionados para delegacias de área, mas agora uma única unidade vai tratar desse assunto”, disse o delegado.

Com a criação do departamento, a polícia conseguirá ter mais controle de dados dos casos registrados no município.

“Todas as informações relacionadas aos crimes ambientais vou poder buscar junto a quela unidade, ela vai ter relatórios de informações e de investigação”, finaliza Casagrande.

Denúncias podem ser feitas pelo 181 da Polícia Civil ou diretamente na 3ª Delegacia, no bairro Efapi.

Fonte: ND Mais