Chapecó ultrapassa 5 mil casos ativos de coronavírus

Chapecó está com 5.150 casos ativos de coronavírus. Nas últimas horas, foram 511 novos pacientes assintomáticos. É o maior número de casos ativos desde o início da pandemia. O município confirmou mais 15 mortes e chegou ao total de 248 óbitos decorrentes da Covid-19. O município ultrapassou, em menos de dois meses deste ano, o número de mortes de 2020. Os dados constam no boletim desta sexta-feira (26).

Conforme as informações, o município contabiliza 24.467 casos confirmados de coronavírus – foram 925 novos diagnósticos somente nas últimas 24h. Do total de casos confirmados, 19.069 são considerados recuperados. Já os outros 5.150 pacientes estão com sintomas.

Há ainda 991 pessoas que aguardam resultados de exames e estão com suspeita de estarem com a doença.

Internação

A rede de saúde de Chapecó registrou o maior número de internações dos últimos tempo. Nesta sexta-feira (26), o número de pessoas internadas chegou a 318, são 49 paciente a mais que o número divulgado na quinta-feira (25), quando havia 269 internados.

Dos pacientes internados, 97 estão em leitos de UTI Covid – 64 na rede pública e 33 na Unimed. Há 124 pessoas internadas em leitos de enfermaria, 65 na rede pública e 59 na rede privada. No município, tem ainda 97 pessoas internas em outros setores – 81 na rede pública e 16 na rede privada. Não foi informados quantos destes que estão em outros setores estão em UTI e quantos estão em enfermaria.

Conforme os dados, dos 318 internados, 210 estão na rede pública e 108 na rede privada.

Cuidados

A orientação dos profissionais da área da saúde é para que as pessoas mantenham o distanciamento social. Também usem máscara e álcool em gel. As pessoas diagnosticas com Covid-19 ou que estão com suspeita da doença devem ficar isoladas, para não transmitir o vírus – que já causou a morte de 248 chapecoenses.

O sistema de saúde está colapsado, conforme é divulgado diariamente pelos profissionais. Já falta leitos para atender pacientes com Covid-19. Mais de 140 pessoas do Oeste precisaram ser transferidas para outros municípios catarinenses por falta de leitos nos hospitais da região, segundo dados divulgados na segunda-feira.

Fonte: CLICRDC / Foto: vídeo/Prefeitura