Chapecoense vence Corinthians em casa e abre vantagem na Copa do Brasil

Time catarinense joga melhor, abre o placar com Aylon e perde chances de ampliar; Timão pensa na final do Paulista, mas precisará inverter resultado em casa, na próxima semana.

Chape sai na frente

Chapecoense jogou melhor e venceu o Corinthians por 1 a 0 no jogo de ida da quarta fase da Copa do Brasil, na noite desta quarta-feira, na Arena Condá. O gol foi marcado por Aylon, no fim do primeiro tempo, mas o placar poderia ter sido mais elástico se não fossem as defesas de Walter e o travessão, que evitou um lindo gol de Gustavo Campanharo no início da segunda etapa. O Timão, agora, precisará reagir no jogo de volta, em Itaquera, se quiser avançar.

Como fica?

O Corinthians precisa vencer por dois ou mais gols de diferença para se classificar. Empate ou vitória da Chape classificam o clube catarinense. Vitória corintiana por um gol de diferença leva a decisão para os pênaltis.

Aylon é o nome do gol

“Ele teve foco na jogada”, disse o comentarista Casagrande após o lance do único gol da partida. E teve mesmo! Depois de cobrança de escanteio, o atacante manteve os olhos na bola, viu que Richard dava condição e mandou para as redes.

Timão e uma marca negativa

Com a derrota desta quarta-feira, o Corinthians chegou a quatro jogos sem fazer gols, igualando marca do ano passado, sob comando de Jair Ventura. A equipe de Fábio Carille, quase toda com reservas, jogou mal e teve apenas três finalizações, contra 12 da Chape. Mais uma atuação abaixo da média, esta antes da grande final do Campeonato Paulista contra o São Paulo, no domingo.

Bicampeão! Paulo Victor brilha nos pênaltis, Grêmio bate o Inter e fatura o Gauchão

Depois de Marcelo Lomba salvar o Inter ao pegar pênalti no tempo normal, goleiro tricolor defende três cobranças nas penalidades após mais um 0 a 0.

Tente lembrar um Gre-Nal mais emocionante que o de número 420, disputado na noite desta quarta-feira, na Arena. Depois de perder um pênalti no tempo normal, empatar novamente com o Inter em 0 a 0 no segundo jogo da decisão, o Grêmio venceu por 3 a 2 na disputa de penalidades máximas e é campeão gaúcho pelo segundo ano seguido. O goleiro Paulo Victor foi o herói do 38º título estadual com três defesas em cobranças dos colorados.

Pênaltis resumem o clássico

A palavra “pênalti” não poderia ser mais definitiva para o Gre-Nal 420. O segundo clássico da final do Gauchão foi decidido na marca da cal – e com um toque de polêmica do VAR. Aos 23 minutos do segundo tempo, Bruno Cortez foi puxado na área por Guilherme Parede. O árbitro Jean Pierre Lima revisou no VAR e concedeu o pênalti ao Grêmio. Porém, Marcelo Lomba apareceu como candidato a herói ao defender a cobrança de André. Com novo 0 a 0, a definição do campeão foi feita nas penalidades máximas. Aí, a situação se inverteu. Paulo Victor defendeu as cobranças de Camilo, Cuesta e Nico López, enquanto Sobis e Guerrero acertaram pelo Inter. No Grêmio, Everton e Michel perderam, mas Tardelli, Matheus Henrique e André garantiram a taça.