Cidades estão com racionamento de água em Santa Catarina

A estiagem prolongada em Santa Catarina já começou a afetar as torneiras da população. O oeste do estado enfrenta a situação mais grave e o abastecimento de água começa a acontecer em forma de rodízio. São pelo menos 95 municípios de 295 que sentem algum impacto na distribuição de água segundo o governo estadual.

São Miguel do Oeste decretou situação de emergência e está entre os municípios em pior situação de seca. O abastecimento de água já ocorre em forma de rodízio por bairros em períodos de até 12 horas, segundo informações da Companhia Catarinense de Água e Saneamento (CASAN).

Dados do EPAGRI mostram um grande déficit de chuva variando de 300 a 600 mm no meio-oeste catarinense nos últimos 12 meses. Por isso, pesquisadores já falam na pior estiagem no estado em 14 anos.

Além do oeste catarinense, existem dificuldades no abastecimento de água em municípios da região serrana, do Vale do Itajaí, do litoral norte e do sul do estado, como exemplos São Joaquim, Itaiópolis, Barra Velha, São João de Itaperiú e Tubarão, com os níveis de rios extremante baixos, segundo a CASAN.

Grande Florianópolis
O rio Pilões que abastece a região metropolitana da Grande Florianópolis está com metade do volume e moradores também voltam a enfrentar problemas de desabastecimento de água.

Lagoa do Peri em Florianópolis com nível da água baixando. Crédito: Imagem de divulgação CASAN.

Lagoa do Peri em Florianópolis com nível da água baixando. Crédito: Imagem de divulgação CASAN.

A CASAN fala que a captação de água na Lagoa do Peri já sofreu redução de 40% e a vem sendo feita em outros poços e rios como complemento, mas vem pedindo apoio da população na economia de água.