Confira quem são os medalhistas brasileiros nas Olimpíadas de Tóquio

A participação brasileira nas olimpíadas desse ano foi histórica. Além de revelar gigantes do esporte como a “fadinha” Rayssa Leal no Skate e Darlan Romani no arremesso de peso, chamado de Sr. Incrível, os atletas brasucas trouxeram na mala o maior número de medalhas já conquistadas até hoje em Jogos Olímpicos.
Ao todo foram 21, sendo 7 de ouro, 6 de prata e 8 de bronze, o que deixou o Brasil na 12ª posição no quadro de medalhas.
Conheça que são os medalhistas brasileiros:

Italo Ferreira – Ouro no surf
Campeão Mundial na categoria, foi o responsável pela primeira medalha dourada brasileira na modalidade incluída pela primeira vez em uma olimpíada.

Foto: YUKI IWAMURA/AFP

Rebeca Andrade – prata na ginástica artística e ouro no salto
Depois de conquistar a medalha de prata na disputa individual, Rebeca levou o ouro no Salto sobre a mesa com nota média de 15.083 pontos.

Foto: Miriam Jeske/COB
Martine Grael e Kahena Kunze – ouro na vela (49er FX)
Mesmo tendo participado apenas duas vezes vezes em Jogos Olímpicos, com dois ouros na classe 49er FX da vela, Martine e Kahena tornaram-se bicampeãs da categoria.

FOTO: REPRODUÇÃO/ESTADAO.COM.BR

Ana Marcela Cunha – ouro na maratona aquática
Mesmo tendo apenas 19 anos, a baiana já é um dos principais nomes da maratona aquática com inúmeras medalhas e exatamente aquela que faltava em sua parede, chegou na terceira participação no evento.

Kelvin Hoefler – prata no skate street
O Skate também foi uma das categorias estreantes nos jogos olímpicos e marcou o nome de diversos campeões na história das olimpíadas. Um deles é Kelvin Hoefler de 27 anos que levou a prata no skate street.

Foto: Toby Melville

Rayssa Leal – prata no skate street
Um dos momentos mais emblemáticos para a torcida brasileira foi ver a pequena gigante Rayssa Leal levar a prata no Skate Street. Com apenas 13 anos a maranhense tornou-se a mais jovem medalhista olímpica do Brasil.

Foto: Wander Roberto/COB

Pedro Barros – prata no skate park
Responsável pela terceira medalha na modalidade do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Aos 26 anos, o catarinense de Florianópolis ganhou a medalha de prata e também entrou para o Roll dos atletas estreantes do Skate nessas olimpíadas.

Daniel Cargnin, bronze no judô
A segunda conquista do Brasil em Tóquio foi através do feito de Daniel Cargin de que Porto Alegre para o mundo, no judô competiu na categoria peso meio-leve conquistar a 23ª medalha brasileira nas olimpíadas.

foto: Gaspar Nóbrega/COB

Mayra Aguiar, bronze no judô
Aos 29 anos, a gaúcha deixou Tóquio trazendo na bagagem o bronze e o título de ser a primeira mulher brasileira a conquistar três medalhas olímpicas em modalidades individuais.

Franck Fife/AFP

Laura Pigossi e Luisa Stefani – bronze no tênis de duplas
Mesmo a convocação tendo sido confirmada apenas uma semana antes do início das olimpíadas, as brasileiras levaram a primeira medalha olímpica do tênis brasileiro.

Fernando Scheffer – bronze na natação
A estreia do gaúcho Fernando Scheffer nas olimpíadas foi de bronze com gosto de ouro. Aos 23 anos ele surpreendeu ao finalizar os 200 metros livres em 1min44s66, estabelecendo o recorde sul-americano.

Foto: GettyImages

Bruno Fratus – bronze na natação
Depois de conquistar a quarta colocação em 2012 e a sexta em 2016. Bruno Fratus finalmente conseguiu subir ao pódio e garantir mais um bronze para o Brasil

Alison dos Santos, o “Piu” – bronze nos 400 metros com barreiras
Com 21 anos e 2,00m de altura, o gigante alcançou a terceira colocação batendo o recorde sul-americano na prova dos 400 metros rasos com barreira.

Thiago Braz – bronze no salto com vara
Campeão olímpico em 2016, Thiago Braz de 27 anos voltou a subir no pódio em Tóquio. Saltando 5m87cm e ficou em terceiro lugar e garantiu o bronze.

Abner Teixeira – bronze no boxe
Foi o sonho de conseguir comprar a casa para a mãe que levou Abner Teixeira a participar das olimpíadas. Depois de se classificar nas oitavas e quarta de final, o atleta perdeu para o cubano Julio César de la Cruz, terminando com o bronze, porque não há disputa de terceiro lugar no boxe.

Júlio César Guimarães/COB

Beatriz Ferreira – prata no boxe
A baiana que subiu no ringue como grande favorita, passou pelas oitavas e quartas de final e disputou o ouro na madrugada de domingo(8) e embora tenha garantido a prata no boxe, volta para o Brasil como grande campeã.

Hebert Sousa – ouro no boxe
Baiano de origem, o pugilista do peso médio garantiu a medalha dourada para o Brasil contra o ucraniano Oleksandr Khyzhniak, que ficou com a prata.

Futebol masculino – ouro
A Seleção Brasileira masculina de futebol chegou à final dos Jogos Olímpicos de Tóquio de forma invicta. Foram três vitórias e dois empate sendo que por último Depois, venceu o Egito, por 1 x 0, passou pelo México na decisão nos pênaltis por 4 x 1, após empate sem gols no tempo normal.

Foto: ANNE-CHRISTINE POUJOULAT / AFP – 07.08.2021

Isaquias Queiroz, medalha de ouro na canoagem
O atleta subiu ao pódio da olimpíada após terminar em primeiro lugar na prova da C 1.000 metros, pela canoagem velocidade.

Foto: FERNANDO BIZERRA / EFE