Dia Internacional do Voluntário: empregados da Aurora ajudam a transformar realidades

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), todos os dias, cerca de um bilhão de voluntários fazem a diferença para pessoas e comunidades onde vivem e trabalham. São homens e mulheres que doam um pouco do seu tempo e promovem pequenos gestos capazes de transformar a realidade local.

Para homenagear a iniciativa, a ONU criou em 1985 o Dia Internacional do Voluntário, celebrado anualmente no dia 5 de dezembro. Há 35 anos a data incentiva a prática do voluntariado, trabalho desenvolvido por 4,3 milhões de pessoas no Brasil, cerca de 4,3% da população brasileira.

Neste universo de voluntários estão mais de 2.400 empregados da Aurora Alimentos, nos sete estados de atuação do conglomerado agroindustrial sediado em Chapecó (SC). Por meio de ações e campanhas coordenadas pela Fundação Aury Luiz Bodanese (FALB) — mantida pela cooperativa — os voluntários contribuem com o meio ambiente em projetos socioambientais, ajudam a salvar vidas ao doarem sangue e contribuem com a comunidade.

Neste ano atípico de pandemia, a relevância do trabalho voluntário se tornou ainda maior. De acordo com a diretora administrativa da FALB, Sonara Ramos, os empregados se uniram para confeccionar máscaras de tecido, doar cestas básicas e produtos de higiene para entidades, escolas e associações em vulnerabilidade social.

“Neste ano, mais do que nunca, o trabalho voluntário foi fundamental. Conseguimos arrecadar alimentos, roupas, cobertores, toalhas, além de produzir máscaras para doação a pessoas e entidades que tinham dificuldades de acesso. Em Santa Catarina, também tivemos eventos climáticos extremos que exigiram auxílio para muitas famílias, especialmente da região meio oeste. É um trabalho de cooperação contínuo que nos orgulha muito”, sublinha Sonara.

FRALDAS GERIÁTRICAS

Um dos voluntários da FALB é o supervisor da Fábrica de Rações da Aurora de Xaxim (SC), Cristiano Zanandrea, 44 anos. Há 12 anos ele trabalha na unidade e desde o início atua em ações de voluntariado na comunidade local. A cada 15 dias, ele sai do expediente no horário comercial e segue para trabalhar por mais duas a três horas noturnas na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) do município. Lá, Cristiano e os colegas da Aurora são responsáveis pela primeira etapa de confecção de fraldas geriátricas que beneficiam alunos e a comunidade em geral.

“É gratificante poder ajudar e ver que o seu esforço pode melhorar a vida de alguém que precisa. Me sinto feliz em contribuir e orgulhoso por todo o incentivo que a Cooperativa nos dá neste trabalho”, conta Cristiano.

De acordo com a diretora da APAE de Xaxim, Gilvane Giachini, a Associação recebeu doação de duas máquinas e montou um espaço próprio para confeccionar cerca de 1.000 fraldas geriátricas por mês. Metade delas é direcionada para uso dos alunos atendidos – são ao todo 153 – e a outra parte é comercializada a preço de custo para a comunidade local. A venda simbólica garante a compra da matéria-prima para confecção. Além dos voluntários da Aurora, outras instituições sociais contribuem no processo.

O presidente da APAE, Ari Andolfatto, ressalta que a entidade filantrópica se mantém por meio de repasses federais, estaduais e municipais, o que torna a colaboração dos voluntários essencial. “O grupo da Aurora já faz parte da família apaeana de Xaxim. São amigos que podemos contar em todas as situações, indistintamente. Com essa colaboração, conseguimos manter serviços excelentes aos nossos alunos, os quais não conseguiríamos se fosse de outra forma”.

A analista social do Frigorífico Aurora de Xaxim, Thieni Medeiros de Paula, relata que as unidades da cooperativa no município – Frigorífico, Fábrica de Rações e Incubatório – contam com 228 voluntários. Além da confecção de fraldas para a APAE, os empregados dão suporte em outras ações da entidade, como arrecadação de cestas básicas, venda de rifas e organização de almoços e jantares beneficentes.

“Neste ano de pandemia, a APAE promoveu uma macarronada drive thru e nossos voluntários também ajudaram na montagem e entrega das marmitas. Como o coronavírus impediu muitas ações em 2020, para o próximo ano planejamos cumprir o Plano de Ações 2021 da Política Aurora de Voluntariado. É um trabalho constante, não paliativo, em que a gente consegue enxergar o resultado”, detalha Thieni.

DOAÇÃO DE SANGUE

Todos os anos, as unidades da Aurora organizam a ida dos voluntários até os Hemocentros Regionais para doação de sangue. Em Chapecó, o Hemosc disponibiliza transporte para buscar os doadores da Cooperativa e manter o estoque regular de sangue.

A coordenadora de Captação de Doadores do Hemosc no município, Eliana Ribicki, destaca que as doações feitas pela Aurora fazem toda a diferença. “São muito importantes porque são feitas anualmente e em grande número de voluntários. Este ano foi mais truncado devido à pandemia e sentimos muita falta de doadores. No momento, estamos com o estoque regularizado, mas falta com frequência os tipos “O” negativo e positivo. Para nós, é fundamental que as doações sejam contínuas”, afirma.

O presidente da FALB, Oscar Trombeta, enfatiza que a Fundação tem sete campanhas em andamento, com participação de voluntários em todas as unidades da Aurora. Segundo ele, a entidade tem a solidariedade como essência.

“Cooperar é ser solidário. Temos orgulho desta política de voluntariado empresarial que a FALB vem cumprindo junto com a Aurora. Parabenizamos todos nossos voluntários pela data e esperamos que esse trabalho sirva de incentivo para outras empresas também”, grifa.