Divulgado laudo sobre as causas do incêndio no Clube de São Domingos

O Corpo de Bombeiros Militar de Xanxerê concluiu e divulgou o laudo pericial que aponta as causas do incêndio no Clube Cultural e Esportivo São Domingos. As informações foram divulgadas com exclusividade pelo departamento de jornalismo da Clube FM nesta manhã.

Segundo o laudo pericial, o fogo teria iniciado nos condutores elétricos e materiais depositados atrás do painel, próximo a mesa de doces. Pelo local passavam diversas extensões e estavam armazenados pacotes de presentes, além de caixas com pratos de papelão e outros objetos, que contribuíram com a rápida propagação das chamas.

Neste primeiro momento, quando do inicio do incêndio, não havia ninguém no salão. O ecônomo ouviu estalos no andar debaixo e quando subiu ao piso superior viu as chamas, pegando imediatamente extintores para combater o fogo, contando com auxilio de outras pessoas que estavam no local. Porém, esse esforço não foi suficiente e, segundo o laudo, este combate inicial apenas abafou as chamas, que logo depois aumentaram e saíram do controle. Neste momento, foi acionado o Corpo de Bombeiros.

Outro fator apontado pela perícia é que alguns extintores ficaram escondidos atrás dos tecidos da decoração, o que dificultou a localização e utilização no momento do incidente. Além disso, houve a instalação de diversos equipamentos no local, tais como sistema de som, de iluminação e ventilação sem a apresentação da ART de instalação. Um ventilador instalado para o evento, próximo ao local de início das chamas, possuía emenda feita de maneira inadequada.

Com relação a decoração, foi apresentado laudo de tratamento químico nos tecidos utilizados, porém a amostra retirada no local apresentou queima rápida e efeito de gotejamento, que colabora na propagação das chamas. As luminárias de emergência também foram desligadas e, se o incêndio ocorresse no dia do casamento, a saída de emergência secundária estaria sem iluminação para abandono do local.

Por fim, a conclusão do laudo é a seguinte: “define-se a causa do incêndio como: ação humana indireta, tendo como evento causal superfície aquecida, que por liberação de calor do condutor de multiplicador de tomada / extensão aquecido em contato com materiais combustíveis presentes atrás do painel / mesa de doces (agentes causais) deram causa ao incêndio, cuja propagação foi contribuída por fatores já mencionados”.

O incêndio foi na noite do dia 17 de janeiro, por volta das 21h. As chamas iniciaram no segundo pavimento e destruíram uma área de aproximadamente 1.000 metros quadrados. O prejuízo estimado pelo incêndio ultrapassa os R$ 500 mil.

O laudo divulgado pelos bombeiros consta de que o Clube estava com toda a documentação e procedimentos de segurança em ordem. O local tinha extintores, saídas de emergência devidamente sinalizadas e toda a documentação e alvarás necessários para funcionamento.

Após a divulgação do laudo, o presidente da entidade, Osvaldo Pedro Vieira, destacou que irão procurar as empresas responsáveis citadas no laudo para tratar sobre a responsabilidade dos danos e prejuízos.

“A diretoria está aberta ao diálogo com os responsáveis apontados no laudo pericial. Pelo código civil, o locatário tem responsabilidade de ressarcimento dos prejuízos causados e, por via de regra, as empregas que ali instalaram seus equipamentos e decorações, então estamos buscando orçamentos e vamos apresentar a conta para essas empresas. Esperamos que venha uma proposta de ressarcimento, porque é um direito do clube, para que possamos reconstruir o local. Não havendo essa procura pelos responsáveis contratados, o clube terá de fazer uma ação de cobrança disso”, comentou o presidente.

fotos divulgação