Dono de posto de Renascença e cliente são presos por suspeita de compra de voto com combustível

O dono de um posto de combustíveis em Renascença, no sudoeste do Paraná, e um cliente foram presos em flagrante, no sábado (7), durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão de uma investigação sobre suspeita de compra de votos, segundo o Ministério Público do Paraná (MP-PR).
O cliente preso, que abastecia o carro no momento do cumprimento do mandato, entregou dois vales-combustível – de 10 litros de gasolina cada – como forma de pagamento, informou o promotor Arthur Mendonça e Araújo, da Promotoria Eleitoral de Marmeleiro, na mesma região.
Segundo ele, um dos motivos da busca, autorizada pela Justiça, era encontrar os vales. A investigação aponta para indícios da prática do crime de dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber vantagem em troca de voto, que tem pena prevista de até quatro anos de prisão e multa.
O promotor afirmou que foram apreendidos no posto vários documentos relativos a possível compra de votos. O dono do local também foi preso por ter uma arma de fogo e munição sem autorização.
Ainda de acordo com ele, há informações de que os vales estão sendo fornecidos por um candidato a prefeito e alguns candidatos a vereadores.
Eles foram identificados, mas ainda estão sendo investigados.