Falta de embalagens diminui opções de marcas e tamanho de cervejas nos mercados

Os consumidores ao irem aos supermercados ou empresas especializadas em venda de bebidas, tem notado a falta de algumas opções de cervejas. Não que o produto esteja totalmente escasso, porém, está havendo menos opções de embalagens e tamanhos, como latas e long neck, por exemplo.

De acordo com especialistas, a falta de algumas opções no mercado é reflexo da escassez de embalagens de vidro para a fabricação de garrafas, bem como do alumínio para a fabricação de Latas.

De acordo com levantamento do portal O Tempo, no ano passado, o Brasil produziu 13,7 bilhões de litros da bebida, sendo que esse número deve ser igual ou superior em 2020, estima a Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil).

“Estamos vivendo uma situação que pode ser que afete o abastecimento de alguns produtos, entre eles, a cerveja. O que é? A embalagem. O Brasil vem enfrentando um probleminha com a oferta de embalagens, tanto as de garrafas (vidro), papelão e alumínio (…). E a cerveja depende justamente desses materiais, o vidro e o alumínio”, comentou Karlon Aredes, editor de economia do Jornal O Tempo.

O especialista citou ainda que o derivado de petróleo que origina resina para a fabricação do vidro está com preços elevados, fazendo com que as indústrias deixem de comprar o produto.

“A indústria faz pressão no fornecedor para ver se ele baixa o preço para retomar a produção e envasamento. Com o alumínio é a mesma coisa, está com o preço muito alto, diminuindo a demanda”, acrescentou Aredes.

A importação dessas matérias-primas para a fabricação das embalagens acaba se tornando inviável devido ao Dólar elevado.

O problema logístico, portanto, não seria a produção da bebida, e sim a falta de material para envase, especialmente vidro para garrafas.

Contudo, com a falta de algumas opções, o que se vê em Lucas do Rio Verde-MT, por exemplo, é o aumento significativo de algumas marcas de cerveja nos mercados e revendedoras.

Com a aproximação das festas de fim de ano, a procura pelo produto deverá ser ainda maior, havendo menos opções aos consumidores.

Fonte: Cenário Mt