Fortes chuvas causam estragos e inundações no Oeste de SC

As precipitações registradas desde esta segunda-feira (02) na região Oeste de Santa Catarina já causam transtornos em vários municípios da região. Chama a atenção ocorrências de deslizamentos e alagamentos em localidades do Meio Oeste.

Meio Oeste

O Corpo de Bombeiros foi acionado para averiguar locais de alagamento e deslizamentos de terra em Rio das Antas, no total foram averiguados cinco locais de destaque:

  • Ponto de deslizamento de terra próximo a uma residência na rua Espírito Santo, centro da cidade. Foi deixado 60m² de lona para cobrir o barranco e evitar maior infiltração de água, e orientados os moradores quanto a novos deslizamentos;
  • Ponto de alagamento na rua Rio de Janeiro, centro da cidade, devido ao alto nível de chuvas que excederam a capacidade de escoamento dos bueiros e bocas de lobo mantendo a água da chuva por pelo menos 300 metros de um lado ao outro da rua, impossibilitando o tráfego de veículos pequenos;
  • Pontos de alagamento na Linha Glória, interior do município, em residência localizada atrás do Rio Lontras com transbordamento. Foram orientados os moradores, que decidiram permanecer no local.
  • Ponto de alagamento na rua Lontras, que dá acesso à Linha Zoller, devido ao nível do Rio Lontras. Permaneceu interditada até que o nível da água baixasse;
  • Ponto de deslizamento na Rua da Fraternidade 176, bairro Novo Horizonte, em residência atingida por deslizamento de terra e pedras do barranco vindo a danificar parte do telhado da garagem. O morador foi orientado a deixar a residência até que a chuva cessasse, pois há risco de novos deslizamentos.

Entre as 16h de segunda e as 16h de terça, choveu 136 milímetros no município. Esta é a 2ª maior precipitação do Estado no período, somente superado por Tangará, onde choveu 153 milímetros em apenas 24 horas. O município cancelou suas aulas nas redes de ensino municipal e estadual, e foi seguido por Ibiam. Em Videira e Fraiburgo, as aulas foram suspensas apenas na rede estadual. Em Joaçaba, o Rio do Peixe já chegou a 7,4 metros, e o alerta para inundações chega a cor laranja se o curso chegar a 8 metros. O alerta vermelho será acionado apenas se a altura do rio chegar a 9 metros.

Na SC-453, entre Ibicaré e Luzerna, houve desmoronamento e queda de árvores na pista. A SC-135 está bloqueada na altura de Pinheiro Preto por queda de barreira. Em Herval d’Oeste, um deslizamento de terra destruiu uma casa e deixou outras duas em grave risco. Em Caçador e Videira, a Defesa Civil está em alerta pelo aumento dos níveis dos rios da região. O mesmo acontece em Capinzal, onde o represamento do Rio Capinzal já coloca alerta laranja para inundações no município desde as 14h de terça. Neste momento, a região Meio Oeste apresenta as maiores precipitações das últimas 24h em Santa Catarina:

Arte: Epagri/Ciram

Extremo Oeste

O Rio Feliciano, que divide os municípios de Galvão e Jupiá, já está enchendo por causa das fortes chuvas. No entanto, não há maiores ocorrências até o momento na região.

Chapecó e Xanxerê

As principais cidades da região Oeste estão em alerta pelas precipitações, apesar da alta discrepância entre os dois municípios: enquanto choveu 58 milímetros em Chapecó, choveram 99 milímetros em Xanxerê, entre as 16h de segunda e as 16h de terça. A ExpoFemi segue com suas atividades normais, e Chapecó não tem transtornos registrados pela chuva no momento.