Furto, abusos em abrigos e tráfico: 130 pessoas já foram presas em meio às enchentes no RS

Desde o início das fortes chuvas que assolam o Rio Grande do Sul, as polícias já prenderam 130 pessoas por crimes relacionados às cheias no estado gaúcho. Mais de 2,3 milhões de pessoas foram afetadas pelas enchentes, sendo que 155 morreram.

De acordo com informações do portal g1, do total de detidos, 48 foram por crimes patrimoniais, como roubos e furtos de pessoas afetadas pelos temporais, afirma a Secretaria da Segurança Pública (SSP). Outras 49 pessoas foram detidas em abrigos. Não há o detalhamento das demais prisões.

Uma família do Vale do Taquari, uma das regiões mais castigadas pela tragédia, foi vítima das chuvas e também da criminalidade. A empresária Marinez Silva Hauenstein foi às redes sociais relatar que uma de suas lojas, em Arroio do Meio, foi saqueada por criminosos que invadiram o local.

Além desse empreendimento, a família tem outros quatro em que comercializam alimentos, bebidas, roupas, entre outros. Além do furto, eles também sofreram com a perda de itens, já que todas as unidades foram invadidas pela água. Marinez estima que o prejuízo total tenha sido de R$ 2 milhões.

Uma moradora de Montenegro também relatou ao g1 que precisou sair da casa onde morava com o namorado no dia 30 de abril, por causa da cheia do Rio Caí, que invadiu a cidade. Quando voltaram, no dia 4 de maio, perceberam que o muro estava derrubado. Ao entrar no imóvel, sentiram falta da máquina de lavar e da geladeira.

Crimes em abrigos e tráfico de drogas

Em 10 de maio, o governo estadual do RS anunciou reforço de segurança em abrigos do estado, que atualmente atendem 77 mil pessoas. Em Porto Alegre, por exemplo, a cidade montou abrigos exclusivos para mulheres e crianças após registro de ocorrências relacionadas a abusos sexuais.

Ao g1, a diretora da Delegacia de Polícia Metropolitana, delegada Adriana Regina da Costa, explicou que as equipes da Polícia Civil fazem rondas nos abrigos. Até agora, 49 pessoas foram presas no total por ocorrências nesses locais.

Outra situação que tem exigido os esforços da polícia nas últimas semanas é a atuação do crime organizado. Na sexta-feira (17), pai e filho foram presos em flagrante por tráfico de drogas. Durante as investigações, foi descoberto, ainda, que os suspeitos estavam com diversas porções de alimento que seriam distribuídas para pessoas desabrigadas. Os itens estavam em uma residência no bairro Belém Velho, na Zona Sul de Porto Alegre.

Em Santa Catarina, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu 1 kg de crack e 52 kg de cocaína em um caminhão que levava doações para o Rio Grande do Sul. O motorista, de 33 anos, disse que a droga tinha como destino um posto de combustíveis, antes de descarregar o veículo com as doações. O homem foi preso em flagrante.