Grande quantidade de frangos morrem por falta de abate em unidades no RS

Com a falta de frigorífico para abate aumenta a mortandade de frangos nos aviários da região.

A foto ilustra a situação de um produtor da região que cria para a JBS de Passo Fundo RS.

Os frangos devem ser abatidos com cerca de 30 dias. Com mais de 40 dias de vida começam a morrer nas propriedades. São cerca de cinco milhões de aves esperando somente na unidade de Passo Fundo. Parte já foi levada para outras unidades da companhia, até mesmo no Paraná, mas esgotou a capacidade industrial nessas plantas também.

A planta de Passo Fundo continua interditada pela Justiça do Trabalho. A legislação sanitária não permite que se faça doação. Eles só podem ser abatidos em linhas de produção autorizadas pelos sistemas oficiais de inspeção, nesse caso, do Ministério da Agricultura.

Via Rádio Planalto News FM 92.1