Homicídio de André Pedroso, morto com nove tiros, é elucidado em Chapecó

O homicídio de André Pedroso, morto com nove tiros, foi elucidado pela Polícia Civil, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC). O rapaz tinha 23 anos, quando foi morto na casa dele, localizada na rua Coronel Freitas, no bairro Efapi, em Chapecó. O crime aconteceu, por volta das 20h, do dia 23 de agosto deste ano. Segundo o delegado responsável pelas investigações, Vagner Papini, dois suspeitos foram os responsáveis pelos disparos, sendo que o principal autor – um jovem de 19 anos – foi identificado e indiciado. Uma investigação que esta em curso procura identificar o outro suspeito.

Papini explicou que a principal motivação do crime é relacionada a desavenças antigas, entre o principal suspeito e a vítima.

O delegado destacou que no dia do homicídio, dois suspeitos chegaram na residência da vítima e efetuaram diversos disparos. Papini explicou que dos nove tiros que atingiram André, os que causaram a morte foram os que acertaram a cabeça e o abdômen, conforme apontou o laudo pericial.

Investigação

Após ser informada do crime, a Polícia Civil iniciou as investigações. Segundo Papini, foram feitas diligências para verificar se havia câmeras de videomonitoramento no local. “Embora existentes, não captaram a ação delitiva”, disse.

O que nos auxiliou, efetivamente, na resolução do crime é que a vítima, enquanto estava sendo alvejada, ela gritou: ‘para fulano’ (primeiro nome do suspeito). Assim, passamos relacionar pessoas com passagens policiais que possuíam o mesmo prenome. Feito isso, catalogamos todas as fotografias desses indivíduos e passamos exibi-las às testemunhas oculares“, pontuou.

O principal suspeito do crime – um jovem de 19 anos – segundo o delegado, foi reconhecido pelo olhar e também pela estrutura física. Os dois suspeitos usavam capuz no momento do crime. O outro suspeito não foi identificado.

Prisão

O jovem de 19 anos, principal suspeito da morte de André, foi preso no dia 8 de setembro por porte arma e disparo de arma de fogo. “Na ocasião, ele estava na posse de uma arma de fogo, pois pretendia vingar um homicídio praticado no mês de junho”, explicou o delegado.

O suspeito permanece preso. A arma apreendida naquela ocasião passou por exame de balística, que comprovou se tratar da mesma usada na morte de André. Os investigadores foram até o presídio, onde o jovem está preso, para interrogá-lo, mas ele preferiu permanecer em silêncio.

Papini disse que o suspeito foi indiciado por homicídio qualificado por ter impossibilitado a defesa da vítima. Também pelo crime de porte ilegal de arma de fogo. O nome do suspeito não foi informado. O inquérito policial foi encaminhado ao Poder Judiciário.

Fonte: CLICRDC / Foto: Vinicius Dietrich/ClicRDC/Arquivo