Menina de 14 anos dá à luz a trigêmeas no RS

Na astronomia, há um asterismo, ou um conjunto de estrelas, intitulado “Três Marias”. Na vida de um jovem casal de Lajeado, as estrelas nascerem no dia 22 de junho, no Hospital Bruno Born (HBB). São elas que irão brilhar e, talvez, orientar os caminhos da nova família. Uma menina** de 14 e um rapaz de 18 anos são os pais das pequenas estrelas, que nasceram prematuras, de 30 semanas. Batizadas de Maria Sofia, Maria Eduarda e Maria Clara, elas seguem internadas no hospital, em Lajeado.

A história da nova família teve início na noite de 06 de novembro de 2018. Foi quando os adolescentes se encontraram em uma festa no Centro de Lajeado, na localidade conhecida como “Cantão”. À época, o pai das meninas, tinha 17 anos. Hoje está na maioridade. Ele conta sobre o encontro.

“Ela foi lá (na festa) e acabamos nos conhecendo e ficando. Foi nessa noite que acabou rolando. Fomos ficando e nos conhecendo. Só que nisso ela já estava grávida, mas ninguém sabia. Ela tinha notado, mas não sabia se era ou não era”. Antes da festa, o jovem viu a menina nas redes sociais. Talvez, foi quando se apaixonou.

A garota o conheceu na balada. “Eu nem sabia que ele existia. Só que ele já sabia que eu existia por conta das redes sociais”, fala ela. Ambos imaginam que a gravidez das trigêmeas tenha ocorrido naquela noite. Por isso, o pai, Artur, tem a data na ponta da língua. “Ficou marcado porque praticamente foi o dia que ela engravidou”, diz.

Não foi só pela gravidez que o dia não foi esquecido. O 06 de novembro de 2018 marca o começo de uma nova família. Com o amor transbordando pelos olhos, eles passam boa parte do tempo com as mãos dadas. É a forma como o corpo mostra que estão unidos para enfrentar os desafios a partir do nascimento das meninas.

O parto

O relógio marcava meio-dia, em 21 de junho, quando a adolescente, grávida de sete meses, acordou e percebeu que a bolsa havia estourado. Com a calma que aparenta ter, tomou banho, se maquiou e foi para o Hospital Bruno Born com o namorado. Antes do parto, uma cesariana, ela fez a segunda ecografia da gestação.

O primeiro exame, feito em abril, mostrou que havia duas crianças. O casal não sabia qual seria o sexo dos bebês. A mãe lembra que “já estava pensando que se fossem duas iria ser Maria Eduarda e Maria Sofia. E se fosse menino e uma menina iria ser Maria Sofia e Victor Miguel. Só que como veio mais uma, do nada, eu tive que escolher na hora. Então eu coloquei Maria Clara”.

Momentos antes do parto, eles descobriram a terceira menina. Seriam as três marias. A surpresa da gravidez, concebida de forma espontânea, bem como a mudança de vida dos dois foi ampliada por mais um descobrimento. “Não acreditei, pra falar bem a verdade”, diz ele. “Eu fiquei tipo paralisada. Nem sabia o que pensar na hora. Veio um monte de coisas na minha cabeça”, relata a mamãe.

Quando soube da chegada das meninas, e da novidade da terceira neta, a avó paterna Z. L. W, 43 anos, não titubeou e decidiu que levaria todos para morar no seu apartamento. “Quando eu vi elas lá dentro, no hospital, não tive dúvida. Não posso largar. Eu quero ajudar, quero que estejam junto comigo. Quero estar junto com a mãe. Separar não dá. O coração não deixa”, coloca Z. L. W. Por enquanto, só o casal está com ela.

Ajuda às três marias

Ao saber do nascimento das trigêmeas, muitas pessoas de Lajeado e região iniciaram campanhas de auxílio. O que a família pede, no momento, são fraldas tamanho recém-nascido (RN). No entanto, roupas, produtos de higiene e depois artigos de bebês são bem recebidos. Carrinhos de passeio e berços já foram doados.

Interessados em colaborar podem fazer contato com a avó paterna, Zenaide, pelo telefone (51) 9 9545-4266 ou com a amiga da família, Elizete, no 9 9284-7230. Uma campanha ocorre na recepção do HBB, onde as meninas estão internadas.

No salão de beleza Attualitá, em Lajeado, a proprietária Antonella Dias lançou o “Desafio das Marias”. Ela pode ser encontrada no número 9 9777-2626. Doações ainda podem ser entregues no Panquecas Delivery, no Bairro Americano, e na Escola Estadual de Ensino Fundamental (EEEF) Otília Corrêa de Lima, no São Cristóvão. O Grupo Independente também está à disposição para receber donativos.

** Por conta do que determina o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a identificação da menor não será divulgada. A veiculação de notícias com o nome de adolescentes é vedada em lei. Os demais atores serão identificados.

Fonte: Grupo Independente / Foto Ilustrativa