Milho: sem chuvas regulares, SC já calcula perdas de 4% na primeira safra

A estiagem prolongada em Santa Catarina fez o Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa) revisar suas projeções para a safra do Estado. As perdas provocadas pela falta de chuvas fez o setor produtivo se reunir nesta quinta-feira, 5, com a governadora Daniela Reihner e, segundo a Secretaria de Agricultura, foi criado um comitê de crise para acompanhar a situação.

No caso do milho primeira safra, o prejuízo estimado até agora é de 4,12% da produção inicialmente esperada. A previsão até janeiro é de chuva abaixo da média. Em novembro a chuva pode ser ainda mais escassa, disse a pasta. “O maior impacto [nas lavouras de milho] está no extremo oeste, onde a quebra de produção média é de 19,07%. No oeste a perda está em 9,2%”, disse a secretaria em nota.

Do total de lavouras do Estado, 56,5% estão em condição boa, 30,9% em situação média e para 12,6% a condição é considerada ruim. Neste cenário, a produção esperada é de 2,8 milhões de toneladas. Em relação ao milho silagem, a perda média de 6,75% da produção estadual, resultando em 8,8 milhões de toneladas esperadas. De arroz, a produção deve ser, em média, 1,6% menor, sendo que no Sul do Estado deve recuar 2,9%.”

Com base nisso, a Epagri/Cepa calcula uma produção total de 1,18 milhão toneladas para a safra 2020/21. No entanto, a maioria das lavouras (96,8%) está em boas condições e 3,2% em condição média, o que indica que as perdas estimadas não devem ser superiores às apresentadas.

Quanto ao trigo, em fase de colheita, a produção deve crescer 5,6%, refletindo o aumento da área cultivada. “Apesar disso, são esperadas perdas de 11,39% no meio-oeste, 7,08% no oeste, e pequena alta de 0,37% no extremo oeste. Com relação às condições de cultivos, em 63% da área o trigo é considerada bom, 24,8%, médio, e ruim em 12,2% do total.”

A estiagem foi mais intensa em outubro, quando choveu apenas 29,2 mm, muito abaixo da média da região, que é de 154,2 mm. Segundo a Epagri/Ciram, a chuva não deve voltar a Santa Catarina até sábado (7). No domingo, 8, a umidade aumenta do planalto ao litoral, provocando pancadas isoladas de chuva com raios na tarde e noite. No Oeste e Meio-Oeste, a umidade do ar segue mais baixa.

Fonte: Canal Rural / Foto: Mapa/divulgação