Morador de Pinhalzinho é vítima de golpe de venda de carro na internet

No dia de ontem (29), aconteceu um golpe feito por um estelionatário, que usou a internet para cometer o crime e acabou afetando um morador de Pinhalzinho.

O estelionatário, usando nome falso, se passou por um morador da cidade de Xaxim, simulou uma compra de um automóvel, e lucrou pelo menos trinta e dois mil reais.

Tudo começou quando um jovem anunciou a venda de um veiculo, em um site de vendas, o estelionatário entrou em contato com o jovem, dizendo que havia terminado uma sociedade, e estava devendo dinheiro para seu ex-sócio, e o ex-sócio tinha interesse em comprar o veiculo, pediu para o jovem trazer o veiculo até Pinhalzinho e mostrar para o comprador.

O detalhe é que o comprador também foi vitima neste caso, pois para ele, o estelionatário relatou que o dono do veiculo estava devendo certa quantia em dinheiro, e que iria pegar o veiculo como forma de pagamento, e que se o mesmo tivesse interesse, o veiculo custaria cerca de trinta e dois mil reais, bem abaixo da tabela fipe que está em torno de quarenta e quatro mil reais.

O comprador de Pinhalzinho olhou o veiculo, gostou, e fez o depósito para o estelionatário, em uma conta de um banco virtual, em nome de uma feminina, possivelmente uma “laranja” usada pelo criminoso.

O estelionatário também fez um suposto depósito pagando o vendedor, e enviou foto do comprovante de pagamento de mais de quarenta e três mil reais, momento em que o vendedor fez a comunicação de venda do veiculo para o comprador. Mais tarde o vendedor percebeu que o dinheiro não havia entrado em sua conta, e o estelionatário havia lhe bloqueado no aplicativo de mensagens.

Esse foi o momento que perceberam que se tratava de um golpe, em que o criminoso intermediou a venda do veiculo, lucrou mais de trinta mil reais, e deixou as vitimas com um grande prejuízo, que só não foi maior por que o veiculo continua com as vitimas, que registraram um Boletim de Ocorrência, e estão tentando resolver o caso da melhor forma possível.

Fonte: https://www.jornalasuavoz.com.br/