Moro diz que empresas precisam vencer preconceito e contratar presos

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou nesta segunda-feira (6) que as empresas precisam vencer o preconceito e contratar presos.

O ministro deu a declaração em evento no Ministério da Justiça de entrega de um selo em reconhecimento a empresas que empregam presos e ex-presos.

Pela Lei de Execuções Penais, presos do regime fechado podem trabalhar fora da cadeia em condições específicas. Presos dos regimes semiaberto e aberto também podem fazer trabalho externo. Além disso, os presos podem trabalhar dentro das cadeias. Em todo os casos, deve ser remunerado.

Moro argumentou que, embora as penas de prisão tenham caráter punitivo, não se pode “perder a fé e a esperança de que as pessoas podem se redimir”.

“O principal é poder vencer o preconceito. Precisamos que as comunidades locais e as empresas locais se envolvam e rompam aquela barreira do preconceito de pensar que o preso é alguém que tem que estar absolutamente afastado de qualquer espécie de convício social”, afirmou o ministro.

“Uma das melhores oportunidades é incentivar os trabalho dentro das prisões”, completou.

Moro destacou que o trabalho dos presos geram recursos que podem alimentar boa parte do sistema prisional e que o “desejo” é que no futuro o sistema se torne autossustentável, com os próprios presos pagando suas despesas.

Em sua fala na cerimônia desta segunda-feira, o diretor-geral do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Fabiano Bordignon, ressaltou que a socialização dos encarcerados é necessária em um país com mais de 700 mil presos.

“Temos uma população carcerária grande no Brasil e precisamos socializar através das atividades laborais”, disse o Bordignon.

Fonte: G1 Foto: Moro (ao centro) participou de evento de entrega de selo a empresas que empregam presos e ex-presos — Foto: Luiz Felipe Barbiéri/G1