No Paraguai, 75 pessoas fogem de presídio e agentes penitenciários são presos

Um grupo de 75 pessoas fugiu de uma prisão em Pedro Juan Caballero, no Paraguai. A fuga em massa foi registrada na manhã deste domingo. A localidade fica na fronteira com o Brasil, próxima de Ponta Porã (MS). Segundo o Ministério do Interior do país vizinho, 40 dos fugitivos são brasileiros. A maioria deles é vinculada à facção Primeiro Comando da Capital (PCC). Uma pessoa foi recapturada.

Um túnel foi encontrado no local. As autoridades paraguaias não descartam a possibilidade de que os presos tenham escapado pela porta da frente com a cumplicidade de funcionários da prisão. O Ministério da Justiça do Paraguai anunciou a prisão de todos os 30 agentes penitenciários responsáveis pela unidade. A titular da pasta, Cecília Perez, chegou a entregar o cargo ao presidente Mario Abdo Benítez. No entanto, a ministra foi mantida no cargo.

Os fugitivos

Um dos fugitivos, segundo o governo paraguaio, é David Timóteo Ferreira. O criminoso é considerado o líder do PCC dentro do sistema penitenciário do Paraguai. Outros seis são tidos como matadores de aluguel ligados ao tráfico.

Brasil reforça segurança

O Brasil reforçou a segurança por terra e por ar na fronteira com o Paraguai, principalmente na região de Ponta Porã. De acordo com o portal R7, a Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso do Sul deslocou equipes para monitorar a área. Um helicóptero e 200 policiais compõem a mobilização. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, a Polícia de Ponta Porã encontrou três veículos queimados na BR-463, próximo ao distrito de Sanga Puitã, perto da fronteira que separa os dois países.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, também se manifestou sobre o ocorrido. No Twitter, afirmou que a pasta está trabalhando com forças de segurança estaduais para impedir que criminosos que fugiram de um presídio no Paraguai retornem ao país. Moro garantiu ajuda aos paraguaios e prometeu a prisão dos fugitivos brasileiros. “Se voltarem ao Brasil, ganham passagem só de ida para presídio federal”, sinalizou.