PF APURA FRAUDES NA COMPRA DE PRÓTESES MÉDICAS EM HOSPITAL DE XANXERÊ

Na manhã desta terça-feira (24), a Polícia Federal deflagrou a Operação Arritimia, que investiga um grupo criminoso suspeito de utilizar verbas do Sistema Único de Saúde (SUS) destinadas à aquisição de próteses cardíacas. São cumpridos mandados de busca e apreensão em hospital, consultórios médicos, empresas envolvidas e residências dos investigados. São cumpridos sete mandados em Xanxerê (SC) e dois em Florianópolis. Participam da ação 46 policiais federais. Cinco servidores da Controladoria Geral da União apoiam na operação.

Conforme a Polícia Federal, as investigações apontam indícios de que os fornecedores das próteses eram escolhidos por médico e diretores do hospital de Xanxerê. Em troca eles recebiam benefícios pessoais, que consistiam no recebimento de valores em dinheiro, no patrocínio de viagens e/ou formalização de contratos fictícios de prestação de serviços de consultoria, utilizados para dissimular os pagamentos ilícitos.

Investigação

De acordo com a PF, durante as investigações, foi constatado que o médico responsável por escolher as empresas fornecedoras das próteses cardíacas teria recebido irregularmente mais de 4,2 milhões de reais entre os anos de 2014 e 2019.

Ainda segundo a PF, há indícios de que a fila de cirurgias do SUS estaria sendo fraudada pelos envolvidos. A Polícia informou que os investigados podem ser indiciados pelos crimes de associação criminosa, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. Além de outros delitos que eventualmente forem identificados.

Hospital São Paulo de Xanxerê

O ClicRDC entrou em contato com a assessoria do Hospital, que informou que assim que tiverem um posicionamento, a instituição deve se manifestar sobre o assunto.