Poker – Jogador de Quilombo vence torneio e fatura R$ 1,5 milhão

André Berlanda entrou para a história do poker latino-americano na madrugada desta segunda-feira (6). O jogador de Quilombo (SC) foi o grande campeão do maior Main Event da história do BSOP Millions, levando a absurda forra de R$ 1,5 milhão.
 
“Estou bem tranquilo, não sei se caiu a ficha ainda”, disse o “99Palanke” do online, momentos após a vitória marcante. “Eu estava bem focado, vim falando que ia cravar esse torneio desde o dia 2, a galera até ria. É sensacional, eu tinha uma confiança enorme que iria ganhar.”
 
Apesar da confiança, o jogador do Cardroom Team chegou muito perto de ficar com o vice, por diversas vezes. No heads-up contra Mauricio de Farias, do 4bet Team, o campeão chegou a ter apenas três blinds. Foram seis all ins com menos fichas do que o oponente, alguns deles terminando em split pote e outros dando a dobra para o catarinense.
 
No sétimo, já com a vantagem em fichas, veio o título. “Não vou mentir que eu confiei, achei que ia perder quanto estava com três blinds, mas não me assustei”, revelou André. “É uma coisa que não controlo, precisava de uma mão boa para dobrar e estava muito card dead, pode ver na transmissão. Esperei o momento certo.”
 
A mesa final ficou marcada por um “duelo de torcidas” entre o Cardroom e o 4bet Team. Para apimentar ainda mais, André é gremista, e Mauricio, torcedor do Internacional. É claro que não faltaram falinhas futebolísticas, mas isso não afetou o campeão. “Não influenciou, eu curti demais (risos)”, disse. “É uma coisa que eu não controlo, então se eu ficasse nervoso com isso, talvez me atrapalhasse, então preferi gostar do que ficar nervoso.”
 
Com dois filhos pequenos, André praticamente não joga live, mas explicou que o BSOP Millions é imperdível, principalmente pelo clima do evento. O título não poderia ser dedicado a outra pessoa: “Eu dedico pra minha esposa, a Cris, porque jogar poker não é fácil. A tua família aceitar isso já são outros quinhentos, e além de aceitar é ela que tem que carregar o fardo. Eu trabalhava até seis meses atrás, sentava no PC 7h da manhã e saía meia noite.”
 
Após entrar no Cardroom, André tomou a difícil decisão de largar seu cargo de funcionário público e se dedicar apenas ao poker. “Demorou, eu queria sair fazia tempo, mas tinha aquela insegurança, duas crianças pequenas”, explicou. “Faz seis meses que tomei a decisão certa na vida, saí da prefeitura e estou vivendo só do poker. Mais do que nunca, a decisão certa.”