O coronel Prestes do Corpo de Bombeiros afirmou que o acidente ocorreu quando as equipes estavam a caminho da rodovia. “Temos aqui ao lado da rodovia uma área de preservação, que é basicamente um banhado. Essa vegetação na superfície estava queimando, isso gerou uma quantidade de fumaça grande. A concessionária estava nessa ocorrência e pediu apoio ao Corpo de Bombeiros, quando nossa primeira viatura chegou, o acidente tinha acabado de ocorrer. Nosso pessoal já acionou apoio, chegaram mais viaturas, polícia. O pessoal da rodovia já estava sinalizando o local e isso proporcionou que a equipe conseguisse realizar a triagem”, detalhou o coronel.

Sobre incêndios florestais, o coronel Prestes afirmou que houve aumento de 78% dessas ocorrências e que a crise hídrica pode contribuir.

“Os focos de fogo na beira da rodovia podem gerar esse tipo de situação em qualquer rodovia do Estado e do Brasil. Estamos em um período de estiagem, estamos alertando veementemente a população sobre isso. Essa estiagem que nós temos se assemelha muito com o que aconteceu há 50 anos, onde ocorreu o chamado Paraná flagelo, um grande incêndio florestal. Estamos em um período de seca, uma crise hídrica e isso faz com que a vegetação fique seca. O nosso atendimento a incêndio florestal aumentou em 78% em relação ao ano passado, e iniciaram com três meses de antecedência do que normalmente”, finalizou.

Ecovia

A Banda B entrou em contato com a concessionária que administra o trecho, a Ecovia, sobre o acionamento das queimadas e aguarda contato.

Vídeo

Assista ao vídeo registrado por um motorista, na BR-277, antes do acidente.