Sanepar é obrigada a instalar eliminadores de ar em registros na cidade de Mangueirinha – PR

O Poder Executivo de Mangueirinha, Sudoeste do Paraná, sancionou Lei que obriga a Sanepar a instalar, por solicitação do consumidor, equipamento eliminador de ar na tubulação do sistema de abastecimento de água. A proposta foi apresentada pelo vereador Amós Ferreira e aprovada pela Câmara Municipal.

Conforme a matéria, a empresa concessionária do serviço público de abastecimento de água é obrigada a instalar o equipamento na tubulação que antecede o hidrômetro do imóvel.

As despesas decorrentes da aquisição do equipamento e sua instalação serão de responsabilidade do consumidor. A Lei determina ainda que instalação dos aparelhos eliminadores de ar deverá ser feita pela Sanepar ou por outra empresa autorizada.

Outro ponto da matéria estabelece que os novos hidrômetros já deverão ter o eliminador de ar instalado conjuntamente, sem despesa adicional ao consumidor.

O descumprimento da Lei, acarretará em multa à companhia de abastecimento, no valor de 100 UFM’s (Unidades Fiscais Municipais), acrescida de uma UFM por dia de atraso.

O autor da proposta justificou que, quando ocorre a interrupção no fornecimento da água, a tubulação enche-se de ar, que passa pelo hidrômetro e contabiliza como consumo de água.

Outro lado

A Sanepar reconhece que, em momentos excepcionais, pode ocorrer a entrada de ar nas tubulações, que se acumula nos pontos mais altos. Entretanto, afirma que o ar que eventualmente entra pela rede de distribuição de água, não altera o consumo do cliente. Segundo a companhia, em testes laboratoriais e também em situações reais, a quantidade de ar que passou pelo hidrômetro é tão pequena que não representa diferenças significativas para o consumo.

Em pontos onde a interrupção no abastecimento é maior, a Sanepar explica que instala ventosas, equipamentos testados e tecnicamente aprovados, que tem como função eliminar o ar que se formou na rede antes que ele chegue à casa dos clientes.

A empresa salienta ainda, que nenhum dos equipamentos que se apresentam como eliminadores de ar, conseguiram a certificação do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) para utilização em condições de campo. Qualquer produto ou equipamento, antes de ser comercializado, deve passar por análise e aprovação do órgão.

Fonte: RBJ