Senegalês encontra dinheiro “na boca” de caixa eletrônico e devolve para proprietária em Chapecó

O senegalês Serigne Malick Diop – que mora no Brasil desde 2014 e em Chapecó há um ano – foi o protagonista de um ato de honestidade. Ao usar um caixa eletrônico, que tem em um supermercado, na Avenida São Pedro, no bairro Jardim América, Malick encontrou o dinheiro de uma mulher que usou o equipamento antes dele. Eram R$500. Após três dias, ele conseguiu encontrar a dona do dinheiro e fazer a devolução.

O valor liberado pelo equipamento pertencia a Vanessa Quadri- que trabalha no setor de atendimento ao cliente da Lojas de Departamento Havan. Ela usava o uniforme da empresa no momento que usou o caixa eletrônico, o que ajudou Malick encontrá-la.

Vanessa foi no caixa eletrônico no mercado para sacar dinheiro para pagar um móvel que ela havia comprado. Durante a operação ela decidiu cancelar. Segundo ela, na tela do equipamento apareceu que o procedimento havia sido cancelado. A máquina liberou o cartão dela e Vanessa foi embora.

Malick disse que após resgatar o dinheiro no caixa, ele foi atrás da funcionária, mas não encontrou ela. Como ela usava o uniforma da loja, ele foi até a empresa procurar por ela. Após contar sobre a história no local, ele deixou o contato dele, caso a pessoa fosse encontrada.

A funcionária somente percebeu que o saque havia sido efetuado dois dias depois, quando foi olhar o aplicativo do banco. Ela ficou preocupa e nervosa. Ao retornar para o trabalho ela comentou com as colegas o que havia acontecido – momento que foi informada que uma pessoa havia resgatado o dinheiro dela no caixa eletrônico e procurava por ela. Ela falou com o gerente, que tinha ficado com o contato de Malick. Na segunda-feira (2), o senegalês retornou na loja e entregou o dinheiro para Vanessa. Além da gratidão de Vanessa, Malick também foi recompensado com 100 reais.

“Fiquei muito agradecida a ele, porque se fosse outra pessoa jamais teria devolvido. Ele foi honesto. Isso é uma coisa que a gente não vê todo dia. Eu dei R$100 pela atitude dele. É uma coisa que não se explica, que não é do nosso cotidiano”, comentou.

Da mesma forma Malick ficou agradecido. “Fiquei grato, fiquei tão contente em saber que esse R$100 é meu”, contou.

Honestidade

Para Malick o que ele fez é algo cultural. “Nós, como senegaleses, temos uma cultura, temos uma realidade, um respeito pelas pessoas. Tudo que é nosso é considerado nosso, mas tudo que não é nosso, a nós não pertence”, comentou.

O gesto de honestidade chamou atenção de Josmar Pires de Oliveira, que foi abordado por Malick enquanto procurava por Vanessa. Josmar procurou o Som e Café News da Oeste Capital FM e contou a história. “Uma atitude dessa tem que se propagar, tem que divulgar”, disse no programa.

Visitar parentes

Malick trabalha em uma agroindústria de Chapecó e ajuda familiares que moram no Senegal. No Brasil ele está desde 2014. Desde que chegou ao país, ele não retornou mais ao Senegal, onde residem a mãe e a esposa. Todos os meses ele envia dinheiro aos familiares – para ajudar eles. Outra parte fica para os gastos que possui no Brasil.

“Faz tempo que estou no Brasil, inclusive, estou precisando visitar meus familiares no Senegal. Claro, não podemos porque o dólar está muito alto e a passagem de lá para cá também está cara”, ressaltou.

Fonte: CLICRDC / Foto: Arquivo pessoal/