Vídeo: vítimas do “golpe do nudes” perdem R$ 30.000 em Chapecó

Polícia Civil de Santa Catarina, através da DIC-FRON de Chapecó, com apoio da Polícia Civil do Rio Grande do Sul por meio da DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminai) e DRACO ( Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas) de São Leopoldo, além da SUSEPE (Superintendência dos Serviços Penitenciários) deflagra a Operação “SEM LIMITES” que tem como objetivo identificar participantes de grupos criminosos que praticam os crimes de extorsões.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão nos dias 08 e 09/05/2023 nas cidades de Porto Alegre, São Leopoldo e Charqueadas/RS contra dois grupos criminosos que causaram prejuízos em pelo menos dois moradores de Chapecó.

As duas vítimas, juntas, tiveram um prejuízo de mais de R$ 30.000,00. Foram vítimas do golpe conhecido como “golpe do nudes” ou “sextorsão”.

ENTENDA COMO FUNCIONA O “GOLPE DO NUDES” OU “SEXTORSÃO”

Criminosos criam perfis falsos (fakes) de garotas nas redes sociais e, a partir daí, passam a adicionar homens, na sequencia trocam mensagens eróticas com suas futuras vítimas. Durante as conversas, que são realizadas através do bate-papo de aplicativos, são trocadas fotos íntimas (nudes) entre a suposta garota e as vítimas, que são enganadas pelos autores do crime.

Depois, já de posse da foto da vítima, os golpistas entram em contato e se apresentam como pai da suposta garota, advogado da família ou em alguns casos como policial (investigador ou delegado de polícia), informam que a menina seria menor de idade e exigem dinheiro em troca de não registrar a ocorrência (no caso do suposto pai), ou “arquivar” a denúncia (no caso do suposto e falso policial).

O golpe tem variações conforme o grupo criminoso. Em algumas oportunidades o dinheiro é exigido para não ser feito a denuncia, em outras oportunidades exigem valores para restituir algum bem que teria sido quebrado na residência da possível menina, em outras oportunidades já exigiram dinheiro para pagar um suposto tratamento médico para a tal adolescente. Como também já foi exigido dinheiro até para pagar o funeral da adolescente, a qual teria falecido de depressão, segundo os criminosos.

Caso a vítima não deposite a quantia em dinheiro exigida pelos criminosos, eles ameaçam expor toda a conversa aos familiares das vítimas, que, subjugados a essa situação, acabam efetivando os depósitos.

O delegado Eder Matte faz um alerta “para que as vítimas nunca cedam a primeira ameaça, procurem uma delegacia de polícia mais próxima para buscar orientação. Também destaca que apesar da maioria das vítimas serem homens, mulheres também estão sendo vítimas de golpe parecido. Rapazes solicitam trocas de fotos de nudes e após exigem dinheiro para não divulgarem as fotos das vítimas que por medo e vergonha acabam cedendo as ameaças”.

Foram cumpridos três mandados de busca e apreensão, apreendidos vários elementos de prova que serão juntados nas investigações em curso.

O crime de extorsão tem pena prevista de quatro a dez anos de reclusão e está previsto no Artigo 158 do Código Penal.